quinta-feira, 24 de maio de 2007

Um dia...

Acordo e me levanto com calma. Não há pressa. O dia todo está nas minhas mãos. Eu coordeno meu tempo e sei muito bem o que fazer. Apesar de ter muita coisa pra fazer tudo vai ser feito da minha maneira. Com calma. Apreciando cada segundo.

Dou um apaixonado bom dia para minha esposa, óbviamente seguido de um beijo, e parto pra cozinha a fim de fazer nosso café da manhã. Sucos, bolo, café com leite, achocolatado, ovos e pães preparados. Com o cheiro meu filho mais velho logo acorda e vem deitar na mesa da cozinha. Todo dia ele faz isso. Como já sei o café dele já está pronto. Enquanto ele come vou atrás da minha pequena.

No seu quarto ela ainda finje que dorme. Toda graciosa ainda acredita que caio nessa. Eu disfarço bem. Rola aquelas brincadeiras matutinas. Ela é linda. Idêntica à mãe. Enquanto eu converso com ela minha esposa aparece na porta. Sempre o mesmo olhar, sempre o mesmo suspiro. Nossa família é linda.

Todos devidamente alimentados os levo cada um aos seus afazeres. Os filhos no colégio e a esposa no trabalho. De tarde ela vai buscar o carro na oficina. Enquanto isso tenho o dia todo pra trabalhar.

Meu escritório fica em casa. Uma porta, ao lado da escada, dá acesso ao meu pequeno mundo. Lá meu laptop, meus livros, minha câmera e meu violão me aguardam. Pego o celular e ligo para minha secretária a fim de descobrir se já estão todos a postos na redação. Mais tarde irei passar lá. Por enquanto vou começar a matéria da capa por aqui mesmo.




É assim que eu gostaria que fosse cada manhã da minha vida. Mas não sou eu que decido não é? Sem contar que muito sapo ainda vou engolir até ter metade disso. Só espero que seja esse o programa mesmo. Seria ótimo

2 comentários:

Ana Fernandes disse...

nem li (aquela que quer que leiam o dela, ams não le o dos outros ehehe)

bejaum, neo.

Ana Fernandes disse...

Lindo demais, neo.

acredite e lute!

e ore bastante também eheheh

bejaum, neo.