quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Esse lance de flerte

Flerte. A primeira vez que ouvi falar desse termo devia estar jogando The Sims. Faz tempo, mas me pareceu que o aprendi muito tarde. Enfim, flertar/paquerar não é comigo. Na verdade o que eu mais faço é dar cortes nas garotas. É mais forte do que eu. Chega nem sinto. Só depois que cai a ficha e eu fico como o Homer Simpson quando diz: Duh!

Uma vez aconteceu assim. Estava eu muito bem andando na igreja quando fui beber água. Chegando lá encontrei uma garota linda. Uma das garotas mais lindas da igreja na época. Eu devia ter uns 15 ou 16 anos. Faz um tempinho aí, mas o corte foi memorável. Devo contar para os meus filhos pra eles nunca fazerem igual. Será que desse jeito chegarei a ter filhos?

Bom, estava eu lá bebendo água perto da garota quando ela virou pra mim e disse "Camisa legal". A tal "camisa legal" que eu usava era uma camiseta preta com o desenho de um baixo na frente que pegava de cima a baixo e dizia algo como "bom é louvar ao Senhor". Po, aquela garota linda vira pra mim e do nada elogia a minha camiseta. Uma chance massa não? Caramba eu acho que deveria ter feito algo interessante na hora. Sei lá. Nem que fizesse papel de bobo. Mas seria melhor que de idiota. Eu simplesmente virei pra ela e disse "Valeu. Eu também acho." e terminei minha água e fui embora. 

Ahhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!!!! EU TAMBÉM ACHO???? MAS COMO ASSIM???????? Levou dois dias pra eu perceber que tinha dado um corte realmente memorável. Um corte em mim mesmo. Nossa mas eu acho que me odiei o resto da semana. Nunca mais algo assim aconteceu com essa garota. Hoje ela está casada com um cara que - pelo menos pra mim - é bem mais feio que eu. Acontece. Uma vez pedi desculpas por ter dito aquilo pra ela e ela disse que nem lembrava. É mano, o trauma foi só aqui mesmo.

Mas porque contei essa triste história da minha vida? Porque outro dia eu jurei a mim mesmo que nunca mais faria tal coisa. Não deixaria oportunidades assim passarem. Não que eu esteja desesperado procurando uma namorada e tal. Não não. Não chegou a tanto ainda. Mas gosto de conhecer as pessoas, e de manter as oportunidades em aberto. Convenhamos, é muito mais fácil namorar com uma pessoa que você conhece. Mas como já foi percebido eu não sou bom com garotas.

Uma vez eu paquerei uma garota que apareceu aqui em casa. Na verdade foi a única vez na história em que eu paquerei uma garota (que eu já não conhecia) daquele jeito. Ela veio pedir ajuda pra uma organização que havia no meu conjunto que trabalhava com crianças necessitadas. Nem lembro mais da necessidade delas. Acho que tinham alguma deficiência. Enfim, dei em cima da garota legal. Sei lá o que deu em mim. Fazem anos isso também. Perguntei se a encontraria lá, se ela morava no conjunto, disse que aparecia e sorri a conversa toda. Dizem que meu sorriso é bonito. Apelei. Bom, não deu em nada, mas como a garota era bonita eu não podia deixar passar.

Mas essa foi a única vez mesmo. Como eu disse, a alguns dias jurei a mim mesmo nunca mais deixar tais oportunidades passarem. Não que eu venha com esses papos de bares de novo, mas pelo menos tentar conhecer uma garota interessante que encontre por aí. Infelizmente não foi o que aconteceu outro dia no ônibus.

Entrei no ônibus e uma garota linda me olho. O ônibus estava meio vazio e ela estava praticamente na minha frente. Era um desses ônibus que a gente entra pela frente. Ela estava sentada num banco duplo e uma senhora do lado dela na janela. Fiquei um pouco mais na frente dela em pé ao lado de uma senhora.

Percebi que de vez enquando ela olhava pra mim. Não que eu seja convencido, mas ela olhava sim. Ou pra me analisar, ou pra ter certeza se eu não olhava pra ela. Não posso confirmar que estivesse interessada, mas ela estava olhando. Eu fingi que nem percebia. Não retribuia o olhar. Até porque estávamos muito perto e eu ficaria todo errado com ela olhando pra mim. Acabou que a senhora do lado dela se levantou e  ela se lançou pro lado da janela. Aí aconteceu algo interessante. Quando a senhora se levantou e ela se lançou pro lado eu virei e olhei pra ela. Foi no olho. Ela me olhou ao mesmo tempo e virou o olhar pro lado de fora da janela. Eu, por minha vez, olhei pro assento que logo tratei de ocupar. Ainda bem, porque nessa hora a senhora que estava sentada do meu lado antes se levantou. Eu não teria desculpa pra sentar ao lado da garota se demorasse mais.

Bom, queria poder dizer que perguntei o nome dela e onde ela morava. Que batemos um papo legal começando pelo DVD que eu levava comigo e tinha acabado de comprar "Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças". Um romance muito interessante.  Mas como já foi dito desde o começo eu só faço burradas. 

Acontece que, pra não falar nenhuma asneira pra garota (ou mais um corte memorável pra eu contar pros filhos - esperando que ainda nasçam) eu fui o resto da viagem toda calado. Uns 20 minutos pelo menos. Cheguei na minha parada e me apressei em descer. Nem um "saúde" disse. Logo quando sentei ao lado dela ela começou a tossir. E tossir feio sabe. Como se estivesse com a garganta coçando. Eu não disse nada. Mas nada mesmo. Caramba, eu me incomodei com essa.

Enfim, só queria contar isso. Faz tempo que não posto nada. Tem coisas interessantes que eu gostaria de contar dos últimos dias e aqui estou eu com essa. Nada demais também, mas se eu não escrever sobre nada esse blog morre. ;)

Falows pessoal. Como tem mais garota que lê esse blog me digam, eu sou um mala mesmo não? A opinião de vcs é a que mais me importa. Rsrrsrsrsrs.

2 comentários:

girlenemedeiros disse...

Texto-desabafo.
Mala? Nossa se você for um mala há muitos malas no universo então...
Acho que o problema é: não chegou o momento.
Parece coisa que se fala para as pessoas se conformarem não é mesmo?
Mas não é. Pelo menos essa que eu falei.
É como dizem. O segredo é o charme. Isso, convenhamos, não dá pra ensinar. Se descobre sozinho.
Ah..tu sabe de tudo isso que estou a escrever..hehehehe
Me empolgo com esse tipo de post..rsrs!

*anjinha* disse...

Vc já me contou essa da igreja... risos
Beijos... Boa semana!
=]