sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Balbúrdias das seis da manhã

Se você não entender esse post não fique chateado em ter perdido tempo lê-lo. Eu mesmo não quero escrevê-lo. Por isso vi que na confusão de palavras e idéias seria mais fácil me esconder. Rsrsrsrs. Me esconder. É... Eu tenho feito muito isso.

Estou aqui, mais uma vez sentado na minha cama com o meu notebook, pensando que quanto mais eu posto nesse blog menos comentários aparecem. Isso me incomoda. Sei que a alguns posts atrás eu fiz apologia aos "blogs de desabafo" que não se importam se as pessoas estão comentando ou lendo. Mas as coisas não são tão p&b assim. Se você tem um blog é porque quer que as pessoas leiam e emitam opnião sobre o assunto. Se não, porque escrever em um blog? É só escrever em um caderno então. Problemas pra segurar lápis ou caneta? Então faz um diário no Word e guarda em alguma pasta. Se é pra ninguém mais ler e nem falar nada então porque postar num blog de acesso público? Estranho já seria se fosse um blog não permitido pra visitantes. Embora eu possa entender que escrever em um blog nos permite acessar os textos mais tarde em qualquer lugar em que tivermos acesso a internet. Praticidade. Mas ainda sustendo a idéia de que se você tem um blog é por que quer saber o que as pessoas acham do que você escreve.

Enfim, eu não acordei muito bem. Na verdade eu nem acordei. Pelo menos não hoje. Desde 22:00 de ontem acordado. Terceira vez essa semana. Na próxima já não dá mais. A faculdade volta das férias. Mas pelo menos eu já descobri alguns motivos pra essa minha predileção pela madrugada. Pelo menos dois.

1. Desde que sou criança o horário da manhã significa compromisso. Hora de ir pra aula, de ir pro dentista, trabalho, escola dominical, passeio com a família, e mais uma coisa ou outra. E sabem, eu sempre gostei disso. Sempre achei demais acordar e quando me desse conta já estava na sala de aula respondendo questões de matemática. Eu adoro essa agitação logo pela manhã. Mas quando isso faltava eu ficava mal. Ficava preso em casa, sabendo que não ia sair em nenhum outro horário, e com os meus pais. O lance dos pais todo mundo sabe. Eles nos cobram mas nos amam. Na verdade eles até nos amam tanto que por isso cobram. É uma coisa que eu entendi em alguma parte da minha vida, mas nem por isso comecei a gostar. Ainda mais como andam as coisas hoje em dia.

Estou desempregado, e desde Julho estava fora da faculdade. Foi a mesma época em que me demiti do outro emprego onde eu estava pra passar mal de tanto stress. (Outro assunto em outro post. Aguarde e lerá). Seis meses. Seis meses procurando emprego e nada. Também sem estudar por que estava sem dinheiro. Por problemas na hora de tirar meu seguro desemprego (fiz um acordo pra sair, por isso ainda tinha seguro) tive que trancar a faculdade. Meus pais não poderiam pagar, e eu nem gostaria disso. Seis meses. Seis meses de cobrança. Claro que a anos eu sou notivago assim, mas estou exemplificando pra vocês atualmente. Quando eu ainda estava no colégio eu não gostava de ficar dando satisfações do meu desempenho no colégio. Minhas notas ou qualquer coisa. Isso porque não importava o que eu passasse na minha adolescência minha mãe sempre dizia a mesma coisa. "Vai estudar". "Vai estudar isso, vai estudar aquilo". Sempre a mesma coisa. Comecei a criar certa aversão à frase, ao horário, e a conversar com a minha mãe. Estudar resolveria tudo. Só pra constar, na minha última consulta ao médico por causa de uma crise de stress ele me receitou calmantes e uma visita ao psicólogo. Nunca fiz nenhum dos dois. Eu ainda não estou pagando minhas despesas. Bom... Fugir dos pais é um dos motivos.

2. Eu me escondo na madrugada. Na escuridão. É confortável. Nada de problemas ou de crises. A casa é só minha. A tv, o computador, e a geladeira. Faço exercícios, leio, escrevo, jogo, danço, penso girando em torno da mesa da cozinha..., tudo na madrugada. Me sinto mais à vontade. É como se tudo fosse mais fácil. Gosto de sair de noite. De andar com os amigos e conversar. Parece que fica tudo melhor. Mais feliz. Eu gosto de me esconder. Sei lá. Talvez eu devesse ir mesmo no psicólogo.

Bom... O post do momento é só isso mesmo. Nada demais. Porque o escrevi? Lembra do começo do post? No fundo, eu gosto de atenção.

Um comentário:

Deza disse...

fikei cmo vc uns dias, sem dormir. tbm fico preocupada em ter poucos comentários no meu blog. eu sei q o fiz a pouco tempo, mas quero ser ouvida, pelo menos na internet!!! já q em ksa as coisas tao meio dificeis... se depender de mim, os seu textos vão ter comentários sempre. ah, como deixa, queria agredecer pelos comentários.vlw
Bjusss