quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Leia minhas músicas. Se interessar ouça também.

Idéias

Já pensei em tantas coisas más pra fazer em mim
Já pensei em me drogar pra ser mais feliz
Já pensei em me esconder no mundo pra fugir do Amor
Já pensei em me matar pra acabar com a dor

Por que? (3x)

Já cheguei a beber tanto de cair no chão
Já cheguei a perder meu tempo em masturbação
Já cheguei a roubar meus pais de 10 reais a 100
Já cheguei a colar na escola em prova de inglês

Pra que? (3x)

Idéias em minha mente
comandam a ação
Definem atitudes
Estragam o coração
O desejo me controla
Afeta a razão
Eu sei qual a resposta
Morrer é a solução!

Morrer! (3x)
Pra mim.

Robson Jorge Loureiro

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

Essa música fala sobre atitudes e ações que vem da nossa própria cabeça quando não deixamos Deus tomar conta das nossas vidas. Fala sobre como nossa mente pode ser enganosa.

O primeiro momento é sobre essas idéias que passam em cabeça vazia. Sobre derrubar a mesa e jogar os pratos na parede. "Já pensei em me esconder no mundo pra fugir do Amor" é fugir de Deus. Largar tudo. Muitas vezes isso passa pela cabeça de qualquer pessoa. Seja ela cristã ou não. Seja ela "doida" ou não. São coisas que se maquinam aqui dentro e que podem tomar forma se deixarmos. Coisas que fazem parte da nossa natureza caída.

No segundo momento já são as ações. Nem todas elas eu cometi, mas algumas sim. São coisas que ocorrem justamente quando nos deixamos ser levados pela correnteza. Quando dizemos literalmente "Dane-se! Que o mundo se exploda!". E isso também pode acontecer com qualquer pessoa, e quando menos se espera. Isso porque, como dito antes, nossa mente maquina e pensamentos ruins podem tomar forma. Ninguém se droga do nada. Ninguém trai a mulher do nada. Isso acontece sempre de caso pensado. Talvez não um plano minuciosamente traçado, mas podemos sim dar lugar a pensamentos que se juntam sozinhos. E no fim a gente acaba por experimentar. Ações conduzidas por desejos ocultos, mas vivos e bem alimentados.

O último momento da música já trata da consciência de uma natureza caída. De um corpo corrupto onde realmente somos fracos por que somos humanos. Por que precisamos desesperadamente da natureza divina nas nossas vidas. No final é possível que você não tenha entendido. Fala-se "Eu sei qual a resposta. Morrer é a solução". Não morte literal, onde tira-se a vida terrena. Trata-se de uma morte de vontade. De desejos. De matar essa natureza ordinária. Essa criatura que habita em nós e se delicia de imundícies. "Morrer pra mim". Trata-se de matar o ego. De matar nossos sonhos. De largar tudo aquilo que desejamos e queremos pra nós, e substituir pelo que Deus quer para nós. Ele sim sabe o melhor para as nossas vidas. Mas essa parte eu escrevo na próxima música que postar.

(cont...)

2 comentários:

*anjinha* disse...

Esse era o curso misterioso... rsrsrs
bjus, ótima quinta-feira
até =)

P.S.: Música muito interessante =)

Nathállia Motta disse...

Pois é isso que eu to tentando fazer mi afastar um pouco disso aqui
e é ate bom mesmo porque ficar botando uma postagem atras da outra as pessoas não tem tempo de comentar